ptzh-CNen

Atualidade Económica Portugal-China, junho 2016

No âmbito da reunião internacional de ministros do Mar “Oceans Meeting” que irá decorrer em Lisboa no próximo dia 10 de junho de 2016 (sexta-feira), foi hoje assinado um memorando de entendimento entre a Ministra do Mar, Dr.ª Ana Paula Vitorino e o Ministro dos Assuntos do Mar da República Popular da China, Dr. Hong Hang. Segundo palavras da Ministra o referido memorando visa: “Foi assinado (…) de forma a podermos colaborar na investigação científica e também no desenvolvimento de projetos comerciais no domínio da economia do Mar e que possam conduzir ao aproximar das relações entre os dois países”. Existindo fortes probabilidades de se formar uma parceria bilateral baseada na internacionalização das empresas portuguesas, permitindo a captação de Investimento Direto Estrangeiro (IDE). (mais info)

Na 3.ª Edição do Fórum do Banco Central Europeu (BCE) Mário Draghi convida Zhou Xiaochuan, atual governador do Banco Popular da China, a visitar Portugal, nomeadamente Sintra. O evento terá lugar num resort de luxo sintrense, entre os dias 27 e 29 de junho de 2016, que contará com a presença de cerca de cento e cinquenta banqueiros e especialistas. Segundo a própria instituição o Fórum BCE: “irá focar-se sobre o futuro da arquitetura monetária e financeira internacional” já que se trata de “um tópico central entre decisores de política e economistas”. Havendo foques destinados à aproximação entre a China e a União Europeia em assuntos económicos. Onde o cerne, de introdução às possíveis intervenções, incidirá sobre o valor da moeda chinesa, o yuan dever acompanhar ou não as flutuações do mercado, questões de câmbio, a manutenção de baixos preços nas exportações de produtos chineses e como enquadrar esta realidade em termos de concorrência europeia. (mais info)

Ainda na temática europeia, a agenda da banca é marcada ainda pela influência da queda das exportações da China, referente ao mês de maio, nas bolsas europeias e visível baixa. (mais info)

Uma notícia já não tão recente, mas de relevo, é a autorização da Transportes Aéreos Portugueses (TAP) o lançamento do primeiro voo direto de Portugal à China. Desde 1999, depois de largos anos e menções à ligação aérea direta entre ambos Estados, este ano antevê-se que seja inaugurada a rota, mais especificamente entre Lisboa e Hangzhou, operados pela companhia Capital Airlines. (mais info)

Oportunidade Bolsas CTG-UC

Exmo(a) Sr(a).

 

O Observatório da China tem o prazer de se associar à divulgação da oportunidade de aquisição de bolsas de mestrado fornecidas pela Universidade de Coimbra e a China Three Gorges Corporation, para frequência em regime presencial e a tempo inteiro na China, em Universidades acreditadas pelo Governo, preferencialmente na Universidade de Pequim.

A bolsa atribuída a  cada  candidato selecionado tem  um valor total de 25.000€ (vinte  e  cinco  mil  euros),  dividida  em  prestações  mensais  de  1.041,66,  sendo válidas  pelo período de vinte e quatro meses.

Estas bolsas são uma oportunidade para valorizar a formação de nível superior, fortemente ancorada na investigação, para a valorização social e económica do conhecimento e a participação ativa no progresso das comunidades dos diplomados da Universidade de Coimbra, aliada a uma experiência enriquecedora na República Popular da China.

Podem candidatar-se as estas bolsas antigos estudantes da Universidade de Coimbra ou estudantes que terminem a sua graduação na UC até ao dia 15 de julho de 2016, desde que cumpram os requisitos definidos no Aviso de Abertura publicado em: http://www.uc.pt/driic/noticias/ctg

São elegíveis candidatos de todas as áreas de estudo, com preferência para as áreas de artes, ciências sociais, economia, gestão, engenharia e arquitetura.

As candidaturas podem ser feitas até ao dia 31 de maio, sendo disponibilizado pela UC um apoio direto para a elaboração das candidaturas às universidades chinesas. Para mais informações aceda a www.uc.pt/driic, www.uc.pt/china ou entre em contacto com Helena Rodrigues (International Relations Officer | China Desk) através de: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Comunicado Taiwan - Em Defesa da Paz e da Unidade da China

Exmo(a). Sr(a).

 

É com grande orgulho que o Observatório da China se associa à divulgação do último comunicado da Câmara de Cooperação e Desenvolvimento Portugal-China (CCDPCh). O comunicado direciona-se aos cidadãos de Taiwan, em defesa ad Paz e da unidade da China. O tema é subordinado ao Consenso de 1992, que encerra a divisão entre a República Popular da China Continental e a República da China de Taiwan, numa só China em relação aos avanços eleitorais que marcaram a agenda de 2016.

 

Comunicado de paz taiwan

 Em_defesa_da_paz_e_da_unidade_da_China_.pdf

Atualidade Económica Portugal-China, maio 2016

As notícias de teor económico da China têm marcado a agenda desta semana. O Observatório da China procurou aqui compilar algumas destas novidades quanto ao mercado Chinês, Portugal e os países de língua portuguesa.

O importante papel da China enquanto investidor da EDP (Energias de Portugal) é este ano, uma vez mais, reafirmado pelo seu maior acionista China Three Gorges com a injeção de 300 milhões de euros no cumprimento da aplicação de dois mil milhões na empresa, tendo até então já investido 1,4 mil milhões de euros. Relembra-se que este compromisso segue a linhagem da privatização anteriormente iniciada, sendo estes fundos destinados à compra de participações em ativos da energética e/ ou destinado a projectos e parcerias conjuntas. Surgem ainda indícios de um aprofundamento de negociações com vista além-fronteiras, nomeadamente no Reino Unido (mais info).

Mas o investimento é avistado em mais sectores, a Associação de Novos Empreendedores de Xangai, Zengh Yonggang afirmou a possibilidade de investimento até 10 000 milhões de euros em Portugal. Entre as várias áreas ainda possíveis, aparece a compra de participações capitais das SAD (Sociedades Anónimas Desportivas), o futebol ibérico prende especial atenção, estando já a decorrer várias reuniões e encontros nesse mesmo sentido. De entre estas negociações surgem vários nomes do seu conhecimento, como Luís Filipe Vieira, Rui Costa e Luís Figo (mais info).

Zengh Yonggang para além de ligação à associação acima mencionada, é ainda presidente do ShanShan Group, nessa mesma qualidadeafirmou na passada terça-feira a sua forte convicção de que o Novo Banco será comprado por um investidor Chinês, caso as devidas condições de cooperação assim sejam desenvolvidas (mais info).

Ainda na área do sector bancário é de referir o papel que a CGD (Caixa Geral de Depósitos) visa desempenhar, nomeadamente de facilitador de negócios entre a China e os países de língua portuguesa. Prestando assim apoio às empresas portuguesas e às dos países de língua portuguesa que optem por estabelecer relações comerciais com a China, uma vez que se apresenta actualmente como a única instituição bancária presente em sete de oito países de língua portuguesa, à exceção de Guiné-Bissau (mais info).

A criação de um grande espaço de crescimento de relacionamento comercial entre a China e países de língua portuguesa vai de encontro aos interesses do Governo de Macau, a referência do secretário para a Economia e Finanças de Macau, Francis Tam Pak Yuen (mais info).

 

Yuan é moeda de reserva do FMI

O Fundo Monetário Internacional - concedeu ao yuan, esta segunda-feira, o estatuto de moeda de reserva da organização. A decisão coloca a divisa chinesa a par do euro, do dólar norte-americano, da libra britânica e do iene japonês.

A diretora do FMI, Christine Lagarde, referiu que a decisão de incluir o yuan “nas moedas de reserva é um reconhecimento das reformas significativas que foram conduzidas, da abertura significativa da economia chinesa” aos mercados e também dos “progressos alcançados pelas autoridades chinesas na reforma dos seus sistemas monetário e financeiro”.

Continue a leitura