ptzh-CNen

Portugal e China assinam acordo sobre transportes nos Países de Língua Portuguesa

Empresas públicas de Portugal e da China assinaram na quarta-feira um acordo para o desenvolvimento de infra-estruturas de transportes – rodoviárias e ferroviárias – nos Países de Língua Portuguesa, avançou a agência noticiosa portuguesa Lusa.

O protocolo foi assinado em Lisboa entre a IP Engenharia S.A. (parte do Grupo Infraestruturas de Portugal) e a China Tiesiju Civil Engineering Group, subsidiária da China Railway Engineering Corporation.

O acordo permitirá desenvolver em Angola, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau os projectos “que cada país necessitará mais para se desenvolver e estimular a economia local”.

A parceria poderá mais tarde intervir também no Brasil.

Durante a cerimónia de assinatura do acordo, o Secretário de Estado da Internacionalização português, Eurico Brilhante Dias, notou que “Portugal identificou a relação política, económica e social com a República Popular da China como uma prioridade”.

Uma comissão mista das empresas envolvidas vai reunir-se em Janeiro de 2018 para estudar a calendarização do acordo e “a capacidade de cativar financiamentos exteriores” no caso de países de escassos recursos financeiros.

 Fonte:http://pt.platformchinaplp.mo/econ/eclim_detail/type/1/country/4/id/125299?l=pu

 

 

Exportações chinesas crescem 10,3% em Novembro de 2017

As exportações chinesas cresceram 10,3 por cento em Novembro em comparação com o mesmo mês de 2016, atingindo 1,43 triliões de yuan (US$216 mil milhões), anunciou a Administração-Geral das Alfândegas da China na sexta-feira.

As importações também aumentaram 15,6 por cento em relação ao ano passado, chegando aos 1,17 triliões de yuan em Novembro, enquanto o superavit comercial encolheu 11,6 por cento para 263,6 mil milhões de yuan, segundo os dados oficiais.

As estatísticas revelam ainda que, durante os primeiros 11 meses deste ano, as exportações chinesas subiram 2 por cento em relação ao período homólogo, enquanto as importações cresceram 12,5 por cento.

Deng Haiqing, um analista na corretora JZ Securities, disse à agência noticiosa estatal chinesa Xinhua que os números de Novembro superaram as expectativas graças à maior procura externa e um aumento do preço de crude e gás natural.

Fonte:http://pt.platformchinaplp.mo/econ/eclim_detail/type/1/country/4/id/125404?l=pu

Mais de 60 mil milhões USD da China para Angola

transferir

Os empréstimos da China a Angola totalizam mais de 60 mil milhões de dólares, concedidos desde que os dois países estabeleceram relações diplomáticas, em 1983, disse o embaixador chinês em Luanda, Cui Aimin. Os empréstimos chineses, explica, destinaram-se "à construção de inúmeras obras de infra-estrutura como centrais de enregia, estradas, pontes, hospitais e casas, incentivando o desenvolvimento económico e e melhoria da vida do povo de Angola".

"Os resultados da cooperação pragmática entre a China e Angola são frutíferos. Atualmente, a China é o maior parceiro comercial de Angola, enquanto Angola é o segundo maior parceiro comercial, o maior fornecedor dos petróleos da China em África, um dos maiores mercados ultramarinos de obras emprestadas", assume o embaixador chinês de visita a Luanda.

Fonte: Mercado (12.01.2018)

Mais artigos...