ptzh-CNen

O interesse crescente pela Língua Portuguesa em Macau

“In Macau, the old colonial tongue is back in vogue” é uma afirmação da notícia divulgada pelo "The Economist" a qual nos revela as motivações da aprendizagem do português na cidade de Macau e o aumento dos alunos chineses na Escola Portuguesa de Macau, no Instituto Português de Macau e na Universidade de Macau.

A Escola Portuguesa de Macau é a única que ainda segue o currículo português de ensino que é lecionado em Portugal, tendo sido criada um ano antes da transferência de Macau pelos portugueses à China. A sua comunidade discente era constituída maioritariamente pelos filhos dos portugueses expatriados e atualmente regista-se o aumento dos alunos chineses nesta instituição.

O aumento do número de alunos a frequentar os cursos do Instituto Português do Oriente bem como da Universidade de Macau relaciona-se com o incremento das relações comerciais da China com a Lusofonia, do qual também resultou a criação do Fórum de Macau para o seu fomento e desenvolvimento. Segundo um jovem macaense, Ho deseja ser intérprete de empresas chinesas que estabelecem parcerias económicas e negócios com Portugal, Moçambique e Angola, por exemplo. Neste sentido, a Universidade de Macau inaugurou recentemente um centro de ensino bilingue e de formação que oferece workshops em língua portuguesa.

Por fim, Ho sublinha que a Língua Portuguesa é “parte da identidade de Macau” e, na verdade, a língua de Camões continua a ser a língua oficial, juntamente com a língua chinesa e o cantonês.

Referência:

The other official language. The Economist. Acedido novembro 26 , 2018, em https://www.economist.com/china/2018/11/08/in-macau-the-old-colonial-tongue-is-back-in-vogue

Liliana Sousa

Reunião com a delegação chinesa do Projeto de História Oral

No dia 6 de dezembro de 2018, o Observatório da China recebeu nas suas instalações a delegação chinesa de académicos e investigadores que estão a desenvolver um projeto no âmbito dos Estudos Chineses a nível mundial sobre a visão da China

Numa apresentação do Diretor do Centro de Estudos Chineses, ShihChih-yu, deu-nos a conhecer o Projeto História Oral que tem como objetivo reunir um conjunto de entrevistas a personalidades que se destacam na promoção e divulgação dos Estudos Chineses no seu país.

Neste sentido, os restantes membros da delegação também apresentaram o seu trabalho de investigação sobre a visão dos Estudos Chineses no Japão, na Indonésia, no Egito e Kuwait.

Convidado a integrar esta rede de investigação, o Observatório da China contou com a presença do Professor António Graça de Abreu (Universidade de Aveiro), Cátia Miriam Costa (ISCTE-UL) que manifestaram interesse em participar nesta iniciativa e entrevistar um conjunto de personalidades portugueses envolvidas nos Estudos Chineses em Portugal. Posteriormente, este estudo e levantamento de testemunhos seriam publicados na página oficial do Projeto.

 

pho

 

Liliana Sousa

Mais artigos...