ptzh-CNen

Música Católica de Macau no Século XX

O Observatório da China tem o prazer de apoiar a divulgação da sessão de apresentação da obra “Música Católica de Macau no Século XX” | 30 Maio | 18h30

image001

Visita-conto para famílias

O Observatório da China tem o prazer de apoiar a divulgação da Visita-conto para famílias | Museu do Oriente | Dia Mundial da Criança 

 

 

Museu do Oriente celebra Dia Mundial da Criança

O Museu do Oriente assinala o Dia Mundial da Criança, 1 de Junho, com a visita-conto “O Rouxinol e o Imperador”, numa adaptação da história de Hans Christian Andersen, que se realiza em duas sessões, às 10.00 e às 11.00.

Indicada para famílias com crianças maiores de três anos, esta iniciativa sugere uma viagem até à China, através das peças do Museu do Oriente e das lendas que contam. Após a visita, os participantes serão surpreendidos por marionetas de sombra que revelarão como, com o seu maravilhoso canto, o rouxinol foi capaz de curar o próprio Imperador da China.

Visita-conto “O Rouxinol e o Imperador”

Dia Mundial da Criança

1 de Junho

10.00 e 11.00

Duração: 45 min.

Público-alvo: crianças a partir dos 3 anos (acompanhadas por um adulto)

Preço: 4 €/ participante

Participantes: mín. 25, máx. 30

www.museudooriente.pt

Conferência "Têxteis chineses em Braga no século XVII"

 capturargg.265.269.s

Conferência

"Têxteis chineses em Braga no século XVII"

Maria João Pacheco Ferreira

(CHAM - Centro de Humanidades / FCSH/UNL)

O Instituto Confúcio da Universidade do Minho convida todos os interessados a assistir à conferência intitulada "Têxteis chineses em Braga no século XVII", a proferir pela Prof. Doutora Maria João Pacheco Ferreira, do CHAM - Centro de Humanidades / FCSH/UNL, no dia 23 de maio, às 18.00, na Sala Jorge Barradas, no Museu Nogueira da Silva, em Braga.

Tertúlia "Manuel da Silva Mendes: o Homem e a Obra" | Fundação Casa de Macau | 17 de maio | 18h00

Convite Tertúlia Manuel da Silva Mendes

 

Figura incontornável da história de Macau durante a primeira metade do século XX, Manuel da Silva Mendes (1867-1931) eternizou-se pela amplitude da sua presença na sociedade macaense da época. Conhecedor exímio da filosofia taoísta e da arte chinesa, Silva Mendes dedicou grande parte da sua vida a Macau, onde viveu cerca de 30 anos.

É neste âmbito que se presta homenagem à sua obra, no dia 17 de maio, pelas 18 horas, no Centro de Documentação da Fundação Casa de Macau, no Príncipe Real, numa tertúlia dirigida pelo Dr. João Botas e com a honrosa presença da neta de Manuel da Silva Mendes.

Sessão "Fernando Pessoa e o Oriente" | Fundação Casa de Macau

 

image002

A Fundação Casa de Macau, tem a honra de convidá-lo(a) a estar presente na sessão “Fernando Pessoa e o Oriente”, que se irá realizar no dia 19 de junho de 2018, pelas 16h00, no Centro de Documentação da FCM, no Príncipe Real.

O novo livro de Maria Antónia Jardim, "Sir Fernando Pessoa e a Flor de Lótus", dá o mote para a realização de uma sessão dedicada à ligação do poeta ao Oriente, na qual se contempla também um momento musical do Conservatório d'Artes de Loures e a apresentação da edição especial de uma jóia alusiva a Fernando Pessoa, sendo servido um chá no final da sessão

Viagens para sonhar no Museu do Oriente | Oficinas para bebés e crianças até 12 anos

LQxCpry-zoMPIGRfVO7JCqys8zlTbEqSv3NwHdzlFVaWZgyy5Sb4x70106s6CwWolbUSaNlG6mZcVtstKBWncGHZfs8Zxn3AqeYzeW1dPfqs2Jp3f2yfB8dXLoz0Chyu-NWqhJqJkrCn5OURv4qvXilgYQUX Zp961O9DoadzAeOMBiLpgPPS19P3J0K6kCsZq74u32xMecTl

 

Oficinas para bebés e crianças até 12 anos

Viagens para sonhar no Museu do Oriente

O Museu do Oriente preparou, para Maio, uma agenda de actividades a pensar nos mais novos que promete várias horas de diversão em família. Na garupa de cavalos mágicos, até aos Himalaias ou à corte imperial de Pequim, viajaremos por paisagens de sonho em oficinas para crianças de todas as idades.

“A Trote!” é a oficina que se realiza no primeiro sábado do mês, 5 de Maio (com repetição no dia 22), às 11.30, para famílias com bebés até aos 12 meses. Na penumbra do espaço expositivo, junto ao cavalo de Timor, vamos deixar-nos levar por este ser mágico. Embalados no seu movimento, ao som dos seus cascos apressados, com o vento nos cabelos, faremos parte de uma história para experienciar com todos os sentidos.

Na semana seguinte, 12 de Maio (com repetição dia 29), às 11.30, uma oficina dramatizada para famílias com bebés dos 12 aos 24 meses leva-os por terras, rios e mares, “Em busca do Arco-Íris” até aos Himalaias. Lá encontraremos os “Guerreiros do Arco Íris”, bichos sábios que nos ensinarão posturas de yoga. Aprenderemos a preguiçar-nos como o gato, saltar como o sapo ou rastejar como a serpente!

A pé, de carro, avião, barco ou “Em cavalo alado?” são todas formas de viajar, entre outras a explorar na oficina para famílias com crianças dos 3 aos 5 anos, que se realiza no dia 19 de Maio, às 11.30. Para onde vamos todos os dias? Que viagens, pequenas e grandes, já fizemos ou sonhamos fazer? Interrogando as peças do Museu, pensaremos nas viagens que os povos têm feito ao longo da história, e na importância do cavalo, fiel ajudante e companheiro de tantos caminhos e aventuras.

E se uns sapatos ou um chapéu ditassem a nossa forma de estar? “Dos pés à cabeça” é uma oficina de representação e expressão corporal, para famílias com crianças a partir dos 6 anos, que acontece no dia 26 de Maio, às 11.00. Quem usaria os minúsculos sapatos flor de lótus da dinastia Qing? Ou o capacete namban? Como seriam as suas vidas? Partiremos de peças de vestuário e acessórios em exposição para pensar sobre diferentes épocas e contextos. Inspirados nestas diferentes realidades, criaremos um personagem cuja história vamos interpretar.

Também neste dia, mas às 15.00, crianças dos 7 aos 12 anos são convidadas a viajar até Pequim para conhecer a Princesa Turandot e imaginar um fantástico cenário ao som de árias, duetos e coros, descobrindo a Ópera Chinesa na oficina “Pintar a Música”.

Oficina “A Trote!”

5 ou 22 de Maio

11.30-12.15

Público-alvo: bebés até aos 12 meses, acompanhados por um ou dois adultos

Preço: 4 €/ participante (adulto ou criança)

Participantes: mín 10, máx. 20

Oficina “Em busca do Arco-Íris”

12 ou 29 de Maio

11.30-12.00

Público-alvo: bebés dos 12 aos 24 meses, acompanhados por um adulto

Preço: 4 €/ participante (adulto ou criança)

Participantes: mín. 10, máx. 20

Oficina “Em cavalo alado?”

19 de Maio

11.30-12.30

Público-alvo: crianças 3-5 anos, acompanhadas por um adulto

Preço: 4 € (adulto ou criança)

Participantes: mín. 10, máx. 20

Oficina “Dos pés à cabeça”

26 de Maio

11.00-12.30

Público-alvo: famílias com crianças a partir dos 6 anos

Preço: 4 €/ participantes (adulto ou criança)

Participantes: mín. 10, máx. 24

Oficina “Pintar a Música”

26 de Maio

15.00-17.00

Público-alvo: 7-12 anos

Preço: 5 €

Participantes: mín. 8, máx. 15

www.museudooriente.pt

3º Aniversário do Instituto Confúcio da Universidade de Aveiro

448x

 

Em comemoração do seu 3º aniversário, o Instituto Confúcio da Universidade de Aveiro vai realizar um conjunto de actividades de 23 de abril a 30 de maio.

O programa de actividades dedicado à cultura chinesa inclui espetáculos de teatro de sombras, a 23 de abril e 16 de maio, workshops, música e dança, conferências e duas exposições: sobre literatura chinesa para a infância e outra caligráfica sobre a presença portuguesa na China.

Programa de Atividades

Exposições:

  • "Sonhos coloridos do Oriente: literatura infantil chinesa" (23 de abril a 18 de maio)
  • “Um Janus Cultural: a complexidade de Macau em exibição caligráfica” (18 de maio a 17 de junho)

Conferências:

  • "Comparative Literature in China Historical Retrospection and Contemporary Orientations", por Wang Ning, professor da Universidade Tsinghua (30 de Abril)
  • " Chinese Music Today", por Han Mei (7 de maio)

Música e Dança:

  • Concerto de música chinesa: “Red Chamber Ensemble in Concert” (7 de maio)
  • Chinese Musical Instruments (7 de maio)
  • Dança do Dragão (16 de maio)

Teatro

  • Teatro de Sombras (23 de abril; 16 de maio)
  • Leituras dramatizadas de contos chineses (23, 24 e 26 de abril; 16 de maio)

Workshops

  • Cultura (23, 24, 26 de abril; 10, 11, 16, 25 e 26 de maio)
  • Caligrafia (23, 24, 26, de abril; 16, 25 e 26 de maio)
  • Cerimónia do Chá (16, 25 e 26 de maio)
  • Artes Marciais (23, 24, 26 de abril; 16, 25 e 26 de maio)
  • Jogos tradicionais (16 de maio)
  • Visita de estudo ao Museu do Oriente (24 de abril)

Atividades

  • Competições Nacionais de Ciência (23, 24 e 26 de abril)
  • Feira Vocacional e Profissional de Aveiro (10 a 11 de maio, Parque de Exposições de Aveiro)
  • UA Intercultural da Universidade de Aveiro (14 a 18 de maio)
  • IV Encontro Multicultural de Albufeira (25 a 26 de Maio, Albufeira)

Para mais informações, consulte o seguinte site:

http://www.ua.pt/iconfucio/

Sessão especial dedicada a Macau na 15ª edição do IndieLisboa

À semelhança do programa especial dedicado ao novo cinema de Macau no ano passado, as sessões especiais do IndieLisboa 2018 vão contar com uma programação especial dedicada à produção cinematográfica de Macau intitulada “Histórias de Macau”.

No passado dia 28 de abril, foram exibidos na Culturgest quatro filmes no âmbito da sessão especial do IndieLisboa dedicada ao território macaense:

  • Between the Lies, uma animação, que explora as consequências da grande fome, na China;
  • Pass On, um documentário sobre o ensino em casa e o testemunho passado à geração seguinte;
  • Illegalist, uma ficção, filmada num deslumbrante preto-e-branco, que descreve a progressiva intolerância para com o trabalho ilegal no território;
  • KaCha, animação sobre um menino que está cheio de medo de se pôr nas mãos de um assustador barbeiro;

No dia 6 de Maio, na Culturgest, será exibida a curta metragem "The Last Roar of a Mother Bear ". Realizada por Doug Chan,"The Last Roar of a Mother Bear " é uma extensão da curta metragem, "The Roar of Mother Bear", exibida no ano passado no programa dedicado ao novo cinema macaense do IndieLisboa.Passada nos anos 90 (e baseada nas memórias do realizador), o filme retrata um polícia obsessivo (interpretado pelo próprio Chan) que procura desvendar a identidade de um assassino cujos homicídios distam onze anos entre si.

Continue a leitura

Mais artigos...