ptzh-CNen

Economistas esperam que PIB chinês cresça 10% em 2021.

O Produto Interno Bruto (PIB) da China aumentá 10% e sua economia continuará a ter um desempenho superior em 2021, enquanto o Banco Central Chinês começará a aumentar as taxas de empréstimos no próximo ano, de acordo com uma recente nota de pesquisa da empresa internacional de pesquisa econômica Capital Economics.

O PIB chinês se expandiria 10% em 2021, acima do consenso de mercado atual de 7,9%, graças ao vento favorável do estímulo fiscal, recuperação do consumo e serviços, crescimento acelerado da renda e efeitos de base lisonjeiros, disse a nota.

"Olhando para o futuro, embora o consenso dos analistas tenha se tornado mais otimista nos últimos meses, acreditamos que ainda há espaço para novas surpresas", disse Julian Evans-Pritchard, economista sênior para a China, e Mark Williams, economista-chefe para Ásia da Capital Economics.

A Capital Economics previu que o PIB chinês aumentaria 2,5% em 2020 em comparação com o consenso dos analistas de 2%.

Os economistas disseram que os motores domésticos de crescimento da China permanecerão fortes no curto prazo, enquanto a força recente das exportações começará a diminuir em meio ao lançamento de vacinas nos mercados desenvolvidos.

Um aumento na taxa de poupança no início de 2020 significa que as famílias chinesas têm muito espaço para aumentar os gastos à medida que a confiança melhora, disseram Evans-Pritchard e Williams.

A produção econômica da China no quarto trimestre de 2020 está a caminho de ser maior do que a previsão da Capital Economics de um ano atrás e a produção econômica permaneceria acima da tendência por grande parte de 2021, de acordo com a nota.

Enquanto isso, a força econômica abrirá o caminho para algum endurecimento das políticas no próximo ano, com o foco voltando a ser o controle do rápido crescimento da dívida do governo, disse a Capital Economics.

O banco central da China começará a aumentar as taxas de suas linhas de crédito em 2021 e modestos aumentos das taxas de juros estariam basicamente apenas formalizando uma mudança nas condições monetárias que já aconteceu, disse a nota.

"É improvável que essa reversão de política atrapalhe a recuperação e esperamos que a economia da China permaneça com desempenho superior no ano que vem", disseram os economistas.

A moeda chinesa RMB deve se valorizar ainda mais em 2021 e o crescimento econômico contínuo da China deve abrir caminho para novos aumentos nas ações onshore e offshore, de acordo com a nota.

O índice de referência de ações chinesas CSI 300 aumentaria para 5.700 pontos no final de 2021, acima do fechamento de 4.942,7 pontos na quarta-feira, de acordo com a empresa.

No entanto, a economia chinesa enfrenta alguns riscos importantes de queda no setor imobiliário e nos mercados de crédito, disseram Evans-Pritchard e Williams.

O crescimento econômico da China desaceleraria para 4% a 5% até o final de 2021 e a valorização do RMB se estabilizaria, acrescentou a nota.

Enquanto isso, o rendimento dos títulos do governo chinês de 10 anos foi projetado para cair para 2,8% de 3,3% na quarta-feira, uma vez que o mercado de títulos da China começaria a precificar em um crescimento mais lento de médio prazo e taxas de juros de equilíbrio mais baixas.

 

China.org.cn