ptzh-CNen

China e Rússia destacam não interferência nos assuntos internos de países.

A China e a Rússia disseram nesta quinta-feira que deve ser defendido o princípio de não interferência nos assuntos internos de outros países, uma das normas básicas que regem as relações internacionais.

Em uma conversa telefônica entre o conselheiro de Estado e ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, e o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, as duas partes também se comprometeram a proteger conjuntamente a estabilidade estratégica global e regional.

A situação internacional se encontra em uma importante linha divisória, assinalou Wang, acrescentando que em um momento como esse é ainda mais importante que a China e a Rússia fortaleçam sua comunicação estratégica.

Na semana passada, o presidente chinês, Xi Jinping, e o presidente russo, Vladimir Putin, fizeram os respectivos discursos no Evento Virtual da Agenda de Davos do Fórum Econômico Mundial.

Os dois líderes ecoaram as posições da outra parte em seus discursos, e expressaram sua firme determinação para defender o multilateralismo e enfrentar conjuntamente os desafios globais no início do ano, disse Wang.

Os dois chefes de Estado apresentaram um plano China-Rússia para derrotar conjuntamente a pandemia da COVID-19 e revitalizar a economia global, injetando energia positiva e estabilidade ao volátil panorama internacional, indicou.

Os dois chefes de Estado também concordaram em celebrar este ano o 20º aniversário da assinatura do Tratado de Boa Vizinhança e Cooperação Amistosa entre China e Rússia, assinalando a direção para o aprofundamento da parceria estratégica abrangente de coordenação entre os dois países, disse Wang.

Ambas as partes devem aproveitar esta oportunidade para acrescentar novas dimensões a este importante tratado e enviar uma clara mensagem ao mundo de que os dois países protegerão sua própria segurança e a de suas periferias, acrescentou.

Tanto a China como a Rússia dão grande importância à inovação, assinalou Wang, acrescentando que ambos os países devem unir forças para reforçar as vantagens complementares e se esforçar para alcançar grandes êxitos com a celebração do Ano da Inovação Científica e Tecnológica Rússia-China.

As duas partes devem promover sinceramente a facilitação do comércio e investimento sobre a base de benefício mútuo, criar sinergia na construção da Iniciativa do Cinturão e Rota com a União Econômica Euroasiática para estabelecer cadeias industriais, cadeias de fornecimento e cadeias de valor regionais, com o fim de sentar uma base sólida para o benefício mútuo e os resultados ganha-ganha, disse Wang.

Wang recordou a entrevista coletiva anual de Lavrov, em que o ministro russo disse que "podemos falar infinitamente sobre a cooperação Rússia-China que abrange uma ampla série de esferas", dizendo que a China está totalmente de acordo com as declarações.

A China não vê nenhum limite ou área restringida para a coordenação estratégica China-Rússia que é para todo o tempo e omnidirecional, disse Wang.

Os dois países realizaram uma coordenação eficiente dentro de marcos multilaterais e protegeram a equidade e a justiça internacionais, assim como os interesses legítimos dos países em desenvolvimento, acrescentou.

A China apoia firmemente as medidas tomadas pela Rússia para proteger sua soberania nacional e sua estabilidade social, e está disposta a trabalhar com a Rússia para fortalecer continuamente a coordenação em questões como a oposição à interferência nos assuntos internos e a luta contra a informação falsa, disse Wang.

Por sua parte, Lavrov disse que a importância das relações entre a Rússia e a China vão há muito tempo além de bilaterais e ganharam um significado internacional e regional. Os dois chefes de Estado mantiveram intercâmbios estreitos, o que proporcionou uma importante orientação estratégica para o desenvolvimento das relações bilaterais, assinalou.

Lavrov disse que a Rússia está muito satisfeita com a cooperação contra a pandemia entre ambos os países.

A Rússia está disposta a reforçar a cooperação com a China em pesquisa, desenvolvimento e produção de vacinas, assim como em prevenção e controle da pandemia, com o objetivo de eliminar o impacto da pandemia na cooperação prática, disse.

A Rússia e a China devem intensificar a coordenação estratégica e impulsionar estavelmente as agendas bilaterais e multilaterais durante o ano, disse Lavrov.

Ao destacar que a Rússia está disposta a fortalecer a comunicação e a coordenação com a China em questões internacionais e regionais, Lavrov disse que as duas partes devem apoiar-se firmemente em assuntos relacionados aos interesses essenciais de cada uma, defender conjunta e firmemente o multilateralismo e proteger a estabilidade internacional e regional.

As duas partes também realizaram intercâmbios profundos sobre temas de interesse comum, como as relações com os Estados Unidos, e atingiram novos consensos.

Xinhua