ptzh-CNen

Aderir a discurso anti-China na pandemia põe Brasil em posição vulnerável, segundo analistas

Alvo de crítica de membros dos governos do Brasil e dos Estados Unidos durante a pandemia de COVID-19, a China têm tentado responder com um reforço na imagem internacional de credibilidade. Na visão de analistas, o objetivo do país é preencher o que vê como um vácuo de liderança global em um momento de crise - e de falta de uma ação global dos Estados Unidos.

Na avaliação de três sinólogos brasileiros, pesquisadores voltados a tentar entender a China e aproximar os dois países, o momento seria importante fortalecer a relação bilateral, em vez de ameaçá-la com declarações ofensivas.

"O governo chinês tomou para si e abraçou a ideia de ser uma espécie de liderança moral da crise", avaliou Júlia Rosa em entrevista à BBC News Brasil. "Enquanto os EUA se retraem em meio à tragédia, a China adotou uma postura mais condizente com uma grande potência no século XXI", completou

 

Ler artigo completo em: BBC Brasil