ptzh-CNen

China insta EUA a pararem de interferir nos assuntos internos dos outros países.

Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China pediu na quarta-feira que os EUA cuidem de seus negócios, garantam a segurança de seu próprio povo e parem de interferir nos assuntos internos dos outros países, espalhando informações falsas.

O porta-voz Zhao Lijian fez os comentários em resposta a uma consulta à mídia sobre o aniversário de um ano da morte de George Floyd, um afro-americano morto durante sua prisão na cidade americana de Minneapolis, em 25 de maio de 2020, após um policial branco ajoelhar-se sobre seu pescoço por mais de nove minutos.

Zhao disse que incidentes violentos, como tiroteios contra minorias étnicas, continuam a ser manchetes nos Estados Unidos.

Segundo relatos, 64 pessoas foram mortas a tiros pela polícia durante os 21 dias do julgamento de Floyd, disse Zhao, acrescentando que a maioria dessas pessoas era negra.

Zhao disse que, de acordo com uma pesquisa, a relação entre os afro-americanos e a polícia dos EUA tem evoluído cada vez mais para uma crise profunda e crescente no ano passado.

Setenta e dois por cento dos afro-americanos entrevistados acreditam que a situação em que a polícia atirou em jovens afro-americanos e outras minorias étnicas piorou, acrescentou ele.

A morte de George Floyd apenas refletiu a ponta do iceberg do racismo nos Estados Unidos, disse Zhao, acrescentando que 60% dos americanos acreditam que o racismo é um "problema muito ou extremamente sério".

Ele exortou os EUA a cuidar de seus próprios negócios, resolver seus próprios problemas, fornecer segurança para seu povo e conceder-lhes o direito de respirar livremente e estar livre do medo e da discriminação, em vez de espalhar mentiras sobre outros países, causando problemas em todos os lugares e interferindo nos assuntos internos de outros países.

Xinhua