ptzh-CNen

Produção industrial da China recupera para o nível pré-pandémico

A economia chinesa tem continuado a mostrar uma forte recuperação da epidemia, uma vez que dados recentes sugerem que a produção no sector industrial do país tem, geralmente, voltado aos níveis anteriores ao surto do coronavírus.

Os números do primeiro trimestre mostram um aumento anual de 24,5% na produção industrial, um indicador chave da saúde económica de um país.

Em janeiro e fevereiro, os lucros industriais aumentaram quase duas vezes em comparação com o ano passado. A margem de lucro também atingiu mais de 6%, um ponto relativamente alto em anos.

O setor industrial registou um crescimento robusto, com um impulso na produção de produtos inteligentes e de baixo carbono, como veículos de nova energia e robôs industriais.

Huang Libin, um porta-voz do Ministério da Indústria e das Tecnologias da Informação chinês, disse que "no primeiro trimestre, a economia industrial mostrou uma recuperação constante. A economia digital recuperou rapidamente e o desenvolvimento de alta qualidade continua a ganhar ímpeto. Os principais indicadores económicos estavam de acordo com os objetivos esperados e as operações permaneceram dentro de um intervalo razoável."

As autoridades mencionaram, contudo, que a China deveria continuar a enfrentar os desafios como parte dos seus esforços para desenvolver a tecnologia industrial e de informação. Num mundo de incertezas causadas pela COVID-19, disseram que o objetivo é responder à recuperação desigual entre as diferentes indústrias, bem como enfrentar os custos mais elevados para as empresas, mantendo ao mesmo tempo cadeias de abastecimento estáveis e seguras.

Por exemplo, a diminuição da capacidade de produção de semicondutores levou a uma escassez global de fornecimento de chips. Os funcionários do ministério afirmaram que o seu objetivo é reforçar a cooperação com países e regiões relevantes e encorajar empresas locais e estrangeiras a aumentarem o investimento e promoverem a capacidade de fornecimento.

Huang acrescentou que irão “também construir uma plataforma de cooperação para a produção e consumo e fomentar um bom ambiente de aplicação para assegurar que o fornecimento de produtos de chips satisfaz a procura do mercado."

Além disso, o ministério irá também analisar o aumento dos preços das matérias-primas, incluindo petróleo bruto e metais, o que tem recentemente pressionado as empresas em termos de custos. Embora os funcionários acreditassem que o impacto atual do aumento dos preços das matérias-primas no sector transformador é controlável, apontaram que irão tomar medidas para estabilizar os preços.

"Vamos cooperar com os departamentos relevantes para reprimir as atividades ilegais, tais como o monopólio e a especulação. Apoiaremos igualmente as empresas a montante e a jusante para uma cooperação estável a longo prazo e para responder aos riscos de flutuações do mercado em conformidade", detalhou o porta-voz.

A economia da China expandiu-se ao seu ritmo mais rápido recorde nos primeiros três meses deste ano, com o seu PIB a expandir 18,3 por cento. Ao iniciar um novo plano quinquenal, pretende aprofundar a inovação e as reformas no sentido do seu objetivo de desenvolvimento de alta qualidade.

Os funcionários disseram que será também dada mais atenção à promoção de um ambiente justo e aberto para novas empresas nos setores industrial e das tecnologias de informação, protegendo ao mesmo tempo a privacidade dos dados.

CGTN