ptzh-CNen

Operadora de jogo de Macau MGM China com receitas de 244 milhões

A MGM China, operadora de jogo com dois casinos em Macau, anunciou hoje receitas superiores a 2,3 mil milhões de dólares de Hong Kong (244 milhões de euros), no primeiro trimestre do ano.

Em comunicado, a MGM China informou ainda que o total das receitas aumentou cerca de 9%, quando comparado com os 2,1 mil milhões de dólares de Hong Kong (223 milhões de euros) registados nos três primeiros meses de 2020.

Segundo apontou, “a receita de jogos no primeiro trimestre voltou a cerca de 40% do nível do quarto trimestre de 2019, antes da epidemia.”

O grupo apresentou um EBITDA positivo (lucros antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) de 84 milhões de dólares de Hong Kong (8,9 milhões de euros), quando no mesmo período do ano passado tinha registado um EBITDA negativo de 122,6 milhões de dólares de Hong Kong (13 milhões de euros).

A indústria do jogo em Macau registou, em março, o melhor resultado desde o início da pandemia, ao contabilizar 8.306 milhões de patacas (885,61 milhões de euros) em receitas.

De acordo com a Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos, em relação ao período homólogo de 2020, registou-se um aumento de 58%. No entanto, este valor encontra-se bem longe dos 25.840 milhões de patacas (2.775 milhões de euros) arrecadados em março de 2019, antes de se sentir o impacto da pandemia de covid-19.

Macau, capital mundial do jogo, é o único local em toda a China onde o jogo em casino é legal. Em 2019, obteve receitas de 292,4 mil milhões de patacas (cerca de 31,18 mil milhões de euros).

Três concessionárias, Sociedade de Jogos de Macau, Galaxy e Wynn, e três subconcessionárias, Venetian (Sands China), MGM e Melco, exploram casinos naquela que é a apelidada “Las Vegas da Ásia." No entanto, à muito que Macau ultrapassou as receitas dos casinos registadas naquela cidade norte-americana.

Notícias ao Minuto