ptzh-CNen

PIB de Hong Kong aumentou 7,8% no primeiro trimestre, após 6 trimestres consecutivos de declínio

De acordo com dados divulgados pelo governo da Região Administrativa Especial de Hong Kong (RAEHK), o PIB de Hong Kong teve um aumento de 7,8% no primeiro trimestre deste ano, superando substancialmente as expectativas do mercado de cerca de 3,7% e terminando seis trimestres consecutivos de declínio do crescimento.

Um porta-voz do governo da Região Administrativa Especial de Hong Kong, afirmou que “a economia de Hong Kong recuperou significativamente no primeiro trimestre de 2021, o que deve ser atribuído ao forte crescimento das exportações de bens sob a recuperação económica global liderada pelo continente chinês e pelos EUA.”

O crescimento de 7,8% foi o melhor desempenho para a economia da RAEHK em 11 anos, uma recuperação significativa da contração de 2,8% no trimestre anterior e um declínio recorde de 9,1% no primeiro trimestre do ano passado. Também marcou o fim da mais longa recessão para a economia da RAEHK.

Os dados, melhores do que o esperado, na segunda-feira, também vieram mostrar que os residentes da RAEHK têm uma confiança um pouco melhor nas perspetivas económicas da cidade.

De acordo com uma pesquisa divulgada pela Universidade Chinesa de Hong Kong, sobre a situação e as perspetivas económicas atuais em Hong Kong, pela primeira vez nos últimos seis anos, os temores de uma recessão económica caíram de mais de 70% para os 67,7% deste ano.

Segundo o porta-voz, a recuperação económica tem sido desigual e a atividade económica global permanece abaixo dos níveis anteriores à recessão, já que a pandemia continua a atingir segmentos individuais da economia. Acrescentou, ainda, que a recuperação económica global deve beneficiar as exportações de Hong Kong a curto prazo.

As exportações de serviços também devem melhorar, embora a recuperação das atividades relacionadas com o turismo deva ser lenta, dada a pandemia persistente em muitas partes do mundo. Outros fatores de risco, como as relações China-EUA e as tensões geopolíticas, também são dignos de atenção.

No início da segunda-feira, Ma Xiaowei, diretora da Comissão Nacional de Saúde, disse que o governo central está a controlar de perto a situação da epidemia do coronavírus de Hong Kong e ajudará a cidade a elevar a capacidade de testes, exortando a cidade a acelerar a vacinação e a baixar os casos locais para zero para retomar as viagens normais com o continente chinês.

Wang Peng, professor assistente da Universidade Renmin da China, disse ao Global Times que, “em 2021, o impacto da pandemia na economia de Hong Kong provavelmente diminuirá com a introdução da vacinação em Hong Kong e o fortalecimento da prevenção e controlo global da pandemia.”

Até domingo, um total de 1,49 milhões de doses de vacina foram administradas ao público em Hong Kong, de acordo com dados do governo da RAEHK.

Segundo Wang, “de uma perspetiva a longo prazo, há muito boas notícias para o desenvolvimento económico de Hong Kong em 2021, incluindo a construção da área da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau da China, que entrará na sua fase de construção mais rápida em 2021, sendo, assim, mais favorável às políticas.”

Leung Chun-ying, ex-chefe executivo da RAEHK, disse, durante um seminário, que as oportunidades que o 14º Plano Quinquenal 2021-25 trará para Hong Kong nos próximos cinco anos podem ser as últimas para o povo de Hong Kong, exortando os residentes a procurar novos negócios sob o plano.

Leung disse que algumas áreas no continente, consideradas remotas e pobres, estão a desenvolver-se melhor do que certas partes da RAEHK e que a sociedade de Hong Kong deveria estudar e encontrar oportunidades no âmbito do Plano Quinquenal.

Para estabilizar ainda mais a economia, a RAEHK aprovou o Projeto de Lei de Apropriação 2021, em 28 de abril, permitindo um orçamento deficitário de mais de 100 bilhões de dólares de Hong Kong (12,87 bilhões de dólares), de acordo com o Secretário Financeiro de Hong Kong, Paul Chan Mo-po, no domingo.

Chan disse num post de blog que, após a aprovação do projeto de lei, medidas de apoio serão implementadas a toda velocidade para ajudar os residentes e as empresas a aliviar ainda mais a pressão das medidas de prevenção de epidemias.

Global Times