ptzh-CNen

Indústria médica chinesa passa por transformação digital durante pandemia

De acordo com relatórios divulgados na quarta Cúpula China Digital, encerrada esta semana, a ampla aplicação do big data na prevenção e controlo da COVID-19 na China promoveu a rápida transformação digital da indústria médica.

O código nacional de saúde QR, que exibe resultados de testes de COVID-19 e históricos de viagens dos portadores dessa ferramenta, foi usado mais de 60 bilhões de vezes. Segundo um relatório da Administração do Ciberespaço da China, as autoridades de saúde da China também usaram big data de casos confirmados e suspeitos de COVID-19 para rastrear contactos próximos e alocar suprimentos médicos por meios digitais.

Uma ambulância 5G, que recebe suporte remoto especializado em tempo real através de vídeo de alta definição, além de uma enfermaria de UTI, equipada com uma câmara de 360 graus, capaz de transmitir imagens dos pacientes aos médicos em tempo real, foram exibidas no pavilhão de exposições da cúpula. Em meio ao surto de COVID-19 em 2020, enfermarias de quarentena de realidade virtual semelhantes permitiram que especialistas médicos realizassem consultas presenciais com pacientes sem contato físico.

De acordo com a Comissão Nacional de Saúde da China, mais de 1.100 hospitais de internet foram construídos em todo o país e 30 regiões de nível provincial estabeleceram plataformas de supervisão para serviços médicos online.

O relatório também mostrou que a rede de telemedicina agora abrange mais de 24 mil instituições médicas em todas as cidades de nível sub-regional na China.

XINHUA PORTUGUÊS