ptzh-CNen

China promete cinturão de cooperação e desenvolvimento com a Ásia Central

A China comprometeu-se, na quarta-feira, a construir em conjunto um cinturão de cooperação e desenvolvimento mutuamente benéfico com os países da Ásia Central, a fim de formar uma comunidade de futuro compartilhado para a China e a Ásia Central.

A promessa foi feita enquanto o conselheiro de Estado e ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, presidia a segunda reunião de chanceleres da China + Ásia Central (C+C5) em Xian, capital da Província de Shaanxi, no noroeste da China.

Wang disse que a China e os países da Ásia Central injetam ímpeto constante no desenvolvimento regional coordenado e na recuperação económica, dando contribuições concretas para a paz e o desenvolvimento regional. Acrescentou também que a cooperação coletiva entre a China e a Ásia Central chega no momento certo, com perspetivas promissoras.

Observando que este ano marca o 30º aniversário da independência dos países C5, Wang disse que a China e os países da Ásia Central levaram adiante a amizade e exploraram a cooperação nas últimas três décadas. Ele citou a resolução de questões históricas de fronteira por meio de negociações pacíficas, a salvaguarda da segurança das pessoas e sua participação ativa na construção conjunta do Cinturão e Rota.

Wang propôs esforços unidos em resposta à COVID-19, dizendo que a China está disposta a trabalhar com todas as partes para implementar um mecanismo de notificação para grandes epidemias o mais cedo possível, considerar ativamente a oferta de um novo lote de vacinas de assistência e cooperar para o desenvolvimento e a produção conjunta de vacinas.

Sobre a promoção de zonas piloto ao longo do cinturão económico da Rota da Seda, Wang assinalou que a China está disposta a coordenar-se melhor com os países C5 em mercados, produtos, regras e financiamento, bem como a melhorar a qualidade e a escala do comércio. Ele também pediu a construção conjunta de uma grande passagem eurasiana de interconetividade com base na cooperação aberta.

Em termos do reforço da segurança regional, Wang apelou à cooperação na prevenção do crime organizado transnacional e ao controlo do comércio de drogas, entre outros assuntos. Ele também pediu um firme apoio mútuo para salvaguardar a soberania nacional e uma clara oposição à intervenção estrangeira. Para garantir uma transição estável da situação no Afeganistão, Wang disse que as tropas estrangeiras lá instaladas devem retirar-se de maneira ordenada e responsável.

Wang também prometeu cooperação da China com os países C5 na resposta às mudanças climáticas e proteção da biodiversidade.

Wang informou a imprensa sobre três declarações conjuntas divulgadas na reunião. Referindo-se à primeira, ele disse que todos os lados pediram o aprofundamento da cooperação na sua resposta à pandemia, opondo-se conjuntamente ao “nacionalismo da vacina” e à “lacuna de imunidade.” Disse também que a segunda declaração está relacionada com o aprofundamento da cooperação local e com a implementação de mecanismos de cooperação subnacionais, enquanto que a terceira diz respeito ao trabalho para a reconciliação pacífica no Afeganistão.

A reunião contou com a presença do vice-primeiro-ministro e ministro das Relações Exteriores do Cazaquistão, Mukhtar Tleuberdi, o ministro das Relações Exteriores do Quirguistão, Ruslan Kazakbaev, o ministro das Relações Exteriores do Tajiquistão, Sirojiddin Muhriddin, o vice-primeiro-ministro e ministro das Relações Exteriores do Turcomenistão, Rashid Meredov, e do ministro das Relações Exteriores do Uzbequistão, Abdulaziz Kamilov.

XINHUA PORTUGUÊS