ptzh-CNen

China irá construir 5 rebocadores para o Canal do Suez no Egito

Segundo o presidente da SCA, Osama Rabie, a Autoridade do Canal do Suez do Egito (SCA, na sigla inglesa) concordou com um construtor naval chinês para a construção de cinco rebocadores e o contrato será assinado muito em breve.

Sem mencionar o nome da empresa chinesa, Rabie observou que cada um dos cinco rebocadores estará com um reboque de 80 toneladas.

“Já acordámos com a empresa chinesa que o primeiro rebocador será entregue ao Egito dentro de 14 meses, o segundo em 20 meses e todos os cinco rebocadores terão sido entregues em três anos", disse Rabie, na segunda-feira, após uma cerimónia realizada na província nordeste de Ismailia para assinalar a recente chegada de uma draga gigante à SCA.

Acrescentou ainda que “é possível que cooperemos com a China na construção de rebocadores maiores”, manifestando a sua confiança nas perspetivas de cooperação entre a SCA e a China.

“De facto, os chineses cooperam muito connosco”, disse o chefe da SCA, observando que as empresas chinesas são as primeiras a apresentar as suas ofertas nos concursos e projetos lançados pela SCA.

No final de março, o enorme navio porta-contentores de bandeira panamenha, Ever Given, foi rebatido com sucesso após ter ficado retido no Canal do Suez durante quase uma semana, graças à cooperação entre a SCA e a firma holandesa Boskalis, bem como à sua equipa de resposta de emergência SMIT Salvage.

Rabie observou que a SCA está a atualizar as suas frotas de dragas e rebocadores, não só para facilitar a navegação no Canal do Suez, mas também para se preparar para operações de salvamento dentro e fora da SCA.

Pela sua parte, Mostafa Kenawy, chefe do departamento de dragagem da SCA, disse que para além dos cinco rebocadores a serem construídos na China, a maioria das peças sobressalentes nas oficinas da SCA são “feitas na China.”

“Temos uma cooperação profunda com a China e estamos prestes a realizar um concurso para a construção de uma nova draga de tremonha, e as empresas chinesas são bem-vindas para apresentarem as suas ofertas” disse o funcionário da SCA, numa entrevista a bordo da nova draga recebida.

Ligando o Mar Mediterrâneo ao Mar Vermelho, o Canal do Suez foi oficialmente aberto à navegação internacional em finais de 1869, servindo como uma importante linha de vida para o comércio marítimo global, uma vez que permite aos navios viajar entre a Europa e o Sul da Ásia sem navegar por África.

China Daily